Como lidar com a pressão para induzir o trabalho de parto


Já conhece a história.

Está grávida de 39, 40 ou 41 semanas e todos têm uma pergunta para si: quando está marcada a sua indução?

O seu médico vai informa-la que se o bebé não nascer até a semana que vem, “vamos marcar uma indução, “just in case””.

Como lidar com a pressão para

induzir o trabalho de parto?

Já ouviu falar sobre induções e não está minimamente interessada em ter uma - a menos que seja absolutamente necessário.

Você e o seu bebé estão perfeitamente saudáveis ​​e felizes.

No entanto, todos parecem pensar que o seu bebé não vai nascer sem uma indução.

Então, como se lida com a pressão para ser induzida?

Aqui estão 6 coisas a considerar:

1- Porque Induzir?

Esta é a primeira e mais importante pergunta a fazer. Se o seu médico sugerir que a indução seja necessária numa certa altura da gestação, pergunte "porquê?".

Se não há absolutamente nenhuma razão médica para a indução, é seguro tomar a sugestão do seu médico tal como ela é, apenas uma sugestão - e recusar.

As recomendações para a indução de trabalho de parto emitidas pela Organização Mundial de Saúde indicam: "A indução do trabalho de parto deve ser realizada somente quando há uma indicação médica clara e os benefícios esperados superam os possíveis danos".

Mesmo assim, em 2013, o Listening of Mothers Survey III descobriu que mais de 1 em cada 4 mulheres nos Estados Unidos disseram que os seus provedores de cuidados de saude tentaram induzir o trabalho de parto. Das 25% das mulheres que foram induzidas, quase metade delas não tinha motivo médico.

2 - “Who’s the boss?”

É o papel do seu provedor de cuidados de saúde ajudá-la a tomar uma decisão informada sobre a indução. Não é o papel do seu prestador de cuidados de saúde decidir por si.

Como mulher grávida, é sua a responsabilidade de tomar as melhores decisões para a sua saúde e do seu bebé.

O seu provedor de cuidados de saúde está lá para apoiá-la, mas você é o decisor chave na sua gravidez e nascimento.

Se está a ser pressionada a ter uma indução por motivo não médico, lembre o seu provedor de cuidados de saúde que tem direito a tomar uma decisão informada e coacção é violência obstétrica. É fulcral ter o profissional e saúde certo ao seu lado afim de obter a experiencia de nascimento desejado.

Ver mais sobre como escolher o provedor cuidados de saúde materna certo para si em Perguntas a fazer na primeira consulta de Obstetricia.

3 - “ É apenas um pequeno empurrão”

Agora o seu provedor de cuidados de saúde sugeriu uma indução e você está-se a sentir stressada e pressionada.

Mas você não quer induzir. Parece doloroso, desconfortável e você realmente quer tentar um nascimento tão natural quanto possível. Então o seu provedor de cuidados de saúde oferece uma solução - um compromisso. Talvez um descolamento de membranas, rebentar as suas águas, ou apenas um gel?!

Ver mais sobre tipos de indução em “Vamos falar sobre indução

Essas opções parecem ser de baixo risco e fáceis de executar, mas todas elas trazem os seus próprios riscos e potenciais complicações. Não há garantias de que esses métodos funcionem, e isso pode significar que precisará de mais intervenções para iniciar o trabalho de parto de forma "adequada", o que aumenta o risco de nascimento assistido ou cirúrgico.

Ver mais sobre riscos de indução em “Cascata de intervenções”

4 - Quais são as alternativas?

É fácil ser seduzida em pensar que o seu bebé está pronto para nascer porque ja passou da data prevista. Também é muito stressante ouvir o seu provedor de cuidados de saúde falar sobre bebés grandes ou nados mortos .

Em ambos os casos, é uma questão de introdução de problemas que podem não existir. Tanto você como o seu bebé estão expostos a riscos de complicações que podem ter consequências a curto e longo prazo.

Se não houver necessidade médica para induzir sem ser passar da data de nascimento previsto, há sempre uma alternativa. Pode escolher ter uma gestação pós termo, e simplesmente querer esperar que o trabalho de parto comece espontaneamente.

O seu provedor de cuidados de saúde pode sugerir que faça testes e avaliações para verificar o bem-estar do seu bebé. Mais uma vez, depende de si, mas se gostaria que eles a ajudassem a reforçar a sua escolha ou a ter a paz de espírito talvez seja um bom caminho.

Ver mais como o cocktail hormonal funciona ao iniciar o trabalho de parto em "O papel das hormonas no parto"

5 - Não se sinta tentada a tentar induzir naturalmente

É realmente tentador começar a investigar formas de iniciar o trabalho de parto de forma natural. Talvez a sua irmã tenha comido um caril picante e tivesse tido o seu bebé no dia seguinte. Talvez uma vizinha jure que fazendo longas caminhadas funciona sempre, ou que uma amiga sugira que se sente na sua bola de pilates e balance para cima e para baixo.

Claro, todas essas sugestões para começar o trabalho de parto naturalmente parecem inofensivas. Se estivesse com indução já marcada por razões médicas e ainda tivesse algum tempo, valiam a pena considerar.

Mas tentar forçar o seu corpo a entrar em trabalho de parto antes dele e do seu bebé não estarem prontos não leva em consideração dois factos importantes.

O seu bebé sabe quando tem de nascer. O seu corpo sabe quando responder ao sinal do seu bebé de que está na hora.

Ver mais sobre o a fisiologia do parto em "Hypnobirthing nas etapas do trabalho de parto"

O trabalho de parto é um processo hormonal complexo que acciona um evento fisiológico normal e simples. Nas semanas e dias que antecedem o trabalho de parto, o seu corpo já está a sofrer mudanças mesmo que não se aperceba. Mas como estes processos não podem ser vistos, e por vezes nem sentidos, se o trabalho de parto não começar até a data prevista de nascimento, tendemos a pensar que algo falhou.

6 - Relaxar

Oh não, não a palavra R temida. No final de uma gravidez, muitas mulheres não gostam de relaxar. Não há nada de relaxante sobre andar com uma grande barriga, não ver os pes ha meses, não conseguir dormir adequadamente, e ter que se levantar numerosas vezes durante a noite para fazer xixi, com a ajuda de uma grua!

Mas o trabalho de parto é tudo sobre hormonas. Quando o trabalho de parto começa, uma hormona chamada oxitocina é libertada para estimular as contracções uterinas. E são as coisas que nos fazem sentir bem, seguras e apoiadas, que ajudam a promover a libertação de oxitocina.

Ver um filminho em casa, namorar, comer coisas boas, dar um passeio an praia...

Saiba mais sobre trabalho de parto não perturbado em "Fora do laboratório, de volta para o quarto escuro"

Se nos sentimos stressadas ​​e pressionadas, os nossos corpos libertam hormonas de stress, incluindo adrenalina. As hormonas de stress têm um efeito contrário à oxitocina, retardando a libertação de oxitocina e abrandando o trabalho de parto.

Se estiver sob pressão para induzir o seu trabalho de parto, pode estar a sofrer bastante stress. Isso significa que o seu corpo está a trabalhar contra ele mesmo. O trabalho de parto pode estar iminente - talvez a apenas um dia ou uma semana de distância. Viver em estado de stress provavelmente irá diminuir o processo de libertação de oxitocina para fazer o seu trabalho de parto começar.

Embora relaxar é mais fácil dizer do que fazer, nesta fase é realmente a melhor coisa que pode fazer. Escolha confiar no seu bebé e no seu corpo, se tudo estiver bem convosco.

Ver mais sobre trabalho de parto espontaneo em "Nascer no tempo certo"

Com Hypnobirthing aprenderá a relaxar de forma eficaz de acordo com cada etapa do seu percurso de nascimento.

Ferramentas como faixas mp3 de relaxamento, auto hipnose e muita informação fazem parte do pacote online que temos preparado para si em Hypnobubs online.

Contacte-nos para saber mais ou simplesmente inscreva-se num dos curso mais populares de preparação para o parto disponível para todo o mundo,

Featured Posts
Recent Posts
Follow Us
Search By Tags
Archive
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now